União de Crianças Presbiterianas
Atividades: Domingo | 09hs - Escola Dominical | 19hs - Culto | Quarta-Feira - 20hs - Estudo Bíblico.
Rua 24 Quadra 55 Lote 3/4 Jardim Oriente Valparaíso II - Valparaíso de Goiás - GO - 72870-237 - Tel: 61 - 3627 - 9338

Sociedades

 

Sociedades Internas é uma referência às diversas organizações existentes dentro das comunidades locais no âmbito da IPB, formadas através dos critérios de faixa etária e sexo, tais como: UCP, UPA, UMP, SAF e UPH.

1. COMO SE DEU O SURGIMENTO DAS SOCIEDADES INTERNAS NA HISTÓRIA DA IPB? – As Sociedades Internas são criações humanas e não instituições bíblicas. Uma síntese radical:
• A SAF surgiu em 11.11.1884, quando um grupo de senhoras organizou a “Associação Evangélica de Mulheres” na então Igreja Presbiteriana de Pernambuco.
• A UMP apareceu em 1936 quando o Supremo Concílio padronizou o trabalho de vários grupos de jovens que já atuavam organizadamente sob o nome de União de Moços Presbiterianos.
• A UPH só foi constituída por volta de 1951, mas deve ser observado que o trabalho masculino é anterior a 1900, funcionando sob a sigla “Esforço Cristão”.
• A UPA surgiu da iniciativa de uma irmã da Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro, D. Dorcas Machado, em 1967.
• A UCP é fruto do trabalho da Liga Juvenil, designação da sociedade na década de 1940. Em 1980 mudou de nome.

UCP

História da UCP

Nos anos 40, 41 e 42, participávamos, eu e meus irmãos de uma animada Liga Juvenil, na Igreja Presbiteriana de S. José Del Rei, MG. Tínhamos as nossas reuniões nas tardes de sábado,na casa da diretora, Dna. Lavínia, senhora consagrada, animada e dedicada. Morava ao lado da Igreja. Na sua simplicidade, com poucos e precários recursos, nos proporcionava horas felizes e gostosas, com brincadeiras, estudos, trabalhos e um gostoso lanche. Tínhamos reuniões especiais, festivas com vários programas. Tantos anos se passaram, mas a lembrança daquela época feliz, marcante ficou profundamente registrada no meu coração. Creio que por causa deste doce período que marcou a minha infância, mais tarde, já morando em Niterói, pude organizar a Liga Juvenil da nossa 1ª Igreja Presbiteriana de Niterói e ficar trabalhando até hoje. Tem sido longos e maravilhosos anos de trabalho com as crianças neste departamento tão importante da nossa Igreja. Como e quando começou a Liga Juvenil na nossa Igreja Presbiteriana do Brasil, não sei. Mas há muitos anos tem funcionado com muito dinamismo em algumas das nossas Igrejas com maravilhosos resultados na vida das crianças, levando-as a conhecer os ensinamentos do Senhor Jesus, ajudando-as a crescerem na Sua graça e conhecimento, dando-lhes uma boa base na vida cristã.  E por que UCP? No ano de 1980, numa reunião realizada em São Paulo como a Secretária Nacional do Trabalho Feminino, com a presença da Sra. Edna Costa, o pastor Loria (não me lembro o nome todo) e eu, como assessora da Sra. Edna Costa no trabalho da Liga Juvenil, foi proposto trocar o nome deste departamento para União de Crianças Presbiterianas — UCP. O trabalho de crianças, até então, era vinculado ao trabalho das senhoras, com a direção da Secretaria Nacional de SAFs. Pouco depois, nos idos de 1982, foi criada a Secretaria de Infância. A 1ª Secretaria Nacional de Crianças foi assumida pela Sra. Edna Costa, que já era responsável pela Secretaria de Senhoras. No ano de 1986, foi nomeada a Sra. Angelina Vieira, que ocupou o cargo durante 8 anos, sendo substituída pelo pastor Josué Alves Ferreira, o nosso atual secretário. No ano de 1978, nasceu a revista Juvenis por Cristo que tornou-se órgão oficial da Secretaria da Infância e levava aos líderes toda orientação sobre o trabalho, idéias e sugestões e para as crianças atividades e lições bíblicas. A revista circulou até o ano de 1995. Pelas misericórdias do Senhor, durante anos, tendo estado à frente deste trabalho, aqui na minha igreja. Tem sido uma grande bênção na minha vida, muito aprendi e muito me edifiquei ensinando as crianças. O meu grande desejo é que em todas as nossas Igrejas haja UCPs organizadas, ativas e que trabalhem com muito dinamismo preparando as nossas crianças na vida cristã levando-as a seguir e servir ao Senhor Jesus com muito amor.  O trabalho é realmente maravilhoso. Que Deus, o nosso Pai, nos abençoe e desperte as nossas igrejas para este tão  importante trabalho.

Tia Custódia

UMP

UMP

Mas o que significa UMP, afinal ?

União da Mocidade Presbiteriana

O nosso objetivo é cooperar com a igreja como parte integrante da mesma, no seu objetivo de servir a Deus e ao próximo em todas as suas atividades, promovendo a plena integração de seus membros. Incentivar o cultivo sadio de atividades espirituais, evangelísticas, missionárias, culturais, artísticas, sociais e desportivas; Promover uma salutar convivência com os outros departamentos e organizações da IPB e também com denominações evangélicas fraternas.

UPA

Vamos incendiar o Brasil com o Evangelho de Cristo Jesus!

Este tem sido o desafio de Deus para cada adolescente presbiteriano do Brasil. Nosso compromisso de pregar o Evangelho, testemunhar Jesus e fazer diferença neste tempo tem sido prioridade absoluta. A adolescência presbiteriana vem crescendo em número, há muitas conversões acontecendo. Louvado seja Deus! Nossa liderança é madura, criativa e ungida. Conselheiros, secretários presbiteriais e sinodais vêm trabalhando intensamente para conduzir nossa UPA em triunfo, objetivando a maturidade cristã e a proclamação da Palavra. Nossos Concílios têm dado o apoio necessário e os pastores vêm sendo parceiros nesta caminhada de crescimento espiritual. Os projetos da UPA no Brasil vêm sendo implementados: Alunos de Cristo, Pé na Estrada, Vale a pena esperar!, Clínicas de Treinamento de Líderes, Centro Presbiteriano de Estudos da Adolescência. Graças a Deus há uma acolhida destes projetos e uma forte determinação de levarmos a adolescência a colocá-los em prática. Nossa Revista Point da UPA é um sucesso editorial. Muitos já assinaram, e você também pode assinar. É um trabalho em parceria com a Editora Cultura Cristã e ocupa um espaço fundamental na vida da UPA. Este site é a concretização de um sonho, que agora torna-se realidade. Muito ainda será feito, pela graça de Deus, e juntos faremos mais diferença e teremos uma UPA ainda maior, mais forte, integrada, dinâmica e assim ..."Vamos incendiar o Brasil com o Evangelho de Cristo! Que Deus nos ajude. Amém! Rev. Haveraldo F. Vargas Jr. Secretário Geral da Adolescência.

SAF

 

SAF – Sociedade Auxiliadora Feminina.

É a organização do Trabalho Feminino em uma Igreja, Congregação ou Ponto de Pregação. Funciona com a autorização e sob a jurisdição do Conselho da igreja local, que indica um Conselheiro para servir de elo de ligação com a Sociedade. Sócias da SAF (MUSI – pág. 32, Cap. IV, Art.7º e 8º) A filiação à SAF terá por base a faixa etária de 18 anos para cima. Haverá duas categorias de sócias: ativa – membro da Igreja que se comprometer a freqüentar no mínimo 50% das reuniões e realizar o trabalho que lhe for designado. Cooperadora – aquela que sendo membro da Igreja, ou aluna da Escola Dominical, esteja impedida, por motivo justo, de freqüentar regularmente as reuniões da SAF, ou o membro de qualquer outra igreja evangélica, a juízo do Conselho e que, dentro de suas possibilidades, coopere com sua participação e apoio financeiro.

A sócia cooperadora não terá direito a voto e sua presença não intervirá no quorum da reunião. Sócia Emérita - título de honra que é oferecido a uma sócia de qualquer categoria, que, sendo membro professo da IPB, em plena comunhão, tenha prestado relevantes serviços à SAF da qual é sócia. Este título não implica a perda de qualquer privilégio ou dever da sócia, bem como não lhe adiciona privilégios ou deveres diferentes das demais sócias.  Departamentos (MUSI – pág. 48, Cap. VII, Art. 43) A SAF poderá se dividir em Departamentos. O número de sócias de um Departamento fica a critério da Diretoria, sendo o mínimo de 5 e o máximo de 15. Parágrafo único – a divisão da SAF em Departamentos é feita pela Diretoria, que seguirá o critério geográfico ou outro que achar conveniente.

As finalidades dos Departamentos são (MUSI – pág. 48, Cap. VII, Art. 44): a) contribuir para um maior desenvolvimento das sócias; realizar estudos e palestras indispensáveis ao desenvolvimento de uma vida integral; c) preparar obreiros capazes para cargos de responsabilidade; d) aumentar o interesse e o entusiasmo pelo trabalho; e) estreitar as relações de amizade entre as sócias. Secretarias de Atividades, A Secretaria de Atividade é uma área de atuação em que todos os sócios são desafiados a atuar individual e coletivamente. Tem como objetivo preparar as sócias para que tenham condições de desenvolver qualquer atividade na Sociedade local, na Federação, na Confederação Sinodal, na Confederação Nacional, ou ainda na igreja local como um todo(MUSI – pág. 41, Cap. VI, Art. 28 e 30). A SAF, respeitando suas particularidades de estrutura e funcionamento, poderão ter as seguintes Secretarias de Atividades: a) espiritualidade b) evangelização c) missões d) ação social e) causas da IPB f) causas locais e sociabilidade g) cultura h) comunicação e marketing i) estatística j) música k) esporte e recreação l) outras conforme a realidade local. (MUSI – pág. 41, Cap. VI, Art. 29) A Diretoria da SAF nomeia para cada Secretaria uma sócia que coordenará aquela atividade. Cada SAF procurará trabalhar com o máximo de Secretarias, atendendo, no entanto à sua realidade humana e local.

Mais artigos...

  1. UPH

Informação Denominacional

A Igreja Presbiteriana do Brasil é uma igreja protestante reformada, de orientação calvinista presbiteriana. Foi fundada em 1862 por um missionário estadunidense chamado Ashbel Green Simonton, que chegou ao Rio de Janeiro no dia 12 de agosto de 1859. Possui aproximadamente 1.011.300 membros distribuídos em mais de 10.407 igrejas locais e congregações em todo o Brasil.(Fonte wikipedia)

Sociedades Internas